Novo logo do INN . . .

OLÁ !

ShareThis

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

O TERROR DO NORDESTE: Tucano corrupto é cassado

O TERROR DO NORDESTE: Tucano corrupto é cassado: TUCANO É CASSADO. CADÊ A MÍDIA? No domingo passado (7), um novo prefeito foi eleito na cidade de Americana, município com 226 mil h...

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

INN - A ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA QUE APOIOU AÉCIO Antonio Lassance ( Via FB)

Marcelo Fernandes
Marcelo Fernandes 4 de dezembro de 2014 08:17
ANTONIO LASSANCE
4 DE DEZEMBRO DE 2014 ÀS 06:40
Quando os nomes ligados a Aécio nas eleições de 2014 e que constam da delação premiada forem qualificados como parte do esquema, Aécio terá uma organização criminosa para chamar de sua !


O Senador Aécio Neves terá que engolir sua afirmação de que foi derrotado por uma organização criminosa.

Grande parte dos políticos corruptos que receberam propina do esquema que saqueou a Petrobrás, citados por um dos delatores, apoiou sua campanha, desde o primeiro turno.

Ainda conforme os próprios delatores, o envolvimento de cada um deles com essa organização criminosa data do governo do presidente Fernando Henrique.

Já basta desse lenga-lenga de Paulo Roberto Costa, Nestor Cerveró e Roberto Duque.

Os brasileiros querem saber os nomes dos políticos que receberam dinheiro de propina do esquema que assaltou a Petrobrás.

O que se espera agora é que as informações já vazadas sejam confirmadas no inquérito da Polícia Federal, se os delegados fizerem o trabalho de delegados e não de cabos eleitorais de distintivo.

O que se quer é que todos sejam imediatamente julgados pelo STF ou fujam logo de seus mandatos para serem processados em primeira instância, como fizeram os acusados Eduardo Azeredo e Clésio Andrade, mensaleiros amigos de Aécio Neves.

Quando os nomes ligados a Aécio nas eleições de 2014 e que constam da delação premiada forem qualificados como parte do esquema, Aécio terá uma organização criminosa para chamar de sua.

No PP, o senador Francisco Dornelles (PP-RJ), ao que consta, um dos citados na delação, organizou o apoio de todo o Diretório do Partido Progressista do Rio de Janeiro ao presidenciável tucano.

Outro citado, João Pizzolatti, presidente do PP de Santa Catarina, articulou o apoio desse diretório a Aécio e ao chapão em aliança com o PSDB no estado, incluindo o apoio à candidatura do tucano Paulo Bauer, a governador, e de Paulo Bornhausen ao Senado, pelo PSB - também apoiador de Aécio.

Mesmo no PMDB, muitos dos nomes citados estiveram oficialmente associados à oposição, como o atual presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), o senador Romero Jucá, de Roraima, e o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

A recomendação ética de Aécio aos membros prediletos dessa que acusa de ser uma organização criminosa foi: "suguem mais um pouquinho e depois venham para o nosso lado".

A consequência da baixaria do senador e presidente do PSDB é que ele próprio, ao nivelar por baixo o debate político, ao invés de agir como líder da oposição, incorporou o discurso e vestiu a camisa de chefe de um bando desqualificado de extrema direita que pretende levar a disputa política para as vias de fato.

A partir de agora, Aécio torna-se responsável direto por qualquer ato que fuja do controle do processo democrático e revele a face não apenas golpista e autoritária, mas violenta desse bando.

O que se viu nas galerias do Congresso (terça, dia 2) é apenas o começo de algo que, na República, sempre teve um fim triste e personagens obtusos.

Aécio acaba de entrar para a essa galeria de personagens obtusos.

(originalmente publicado na Carta Maior)

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

INN - Detido com dinheiro em Brasília coordenava publicidade no governo Fernando Henrique Cardoso

 (YL)

8 de outubro de 2014

A partir de janeiro de 1997, Moreira foi coordenador na Secretaria de Comunicação da Presidência da República na área de publicidade e propaganda

Sou jornalista por paixão.  Acredito no que faço.
Não acredito nesse discurso do jornalismo que enfatiza imparcialidade, objetividade ou neutralidade. Mas acredito em honestidade intelectual na atividade profissional.
Tornei-me professor de jornalismo me fiando nessa crença.
Por isso uma das coisas que mais doem em mim, como jornalista e professor, é quando vejo a imprensa fingir que é imparcial ou objetiva, vender esse discurso e, no entanto, se comportar parcialmente em suas pautas, ênfases e enquadramentos.
Já vi isso acontecer mais de uma vez, especialmente nos processos eleitorais.
Nos últimos dias, também.  Hoje.

Era o sábado, 27 de setembro, quando Mário Welber foi detido em São Paulo com R$ 102 mil e 16 cheques em branco.  Welber assessora o deputado tucano eleito Bruno Covas, neto de Mário Covas.
Acontece que a notícia só foi divulgada na quinta-feira (02) pelo Estadão e na sexta-feira (03) pela Folha de São Paulo.  E eu duvido que você tenha visto alguma informação sobre isso na tevê.
Faça uma busca no Google buscando os termos Bruno Covas + R$102 mil.  Aparecem umas poucas referências de órgãos da mídia tradicional na primeira página de resultados (Folha, Terra, Exame).
Agora experimente uma nova busca.  Jogue no Google o nome Marcier Trombiere Moreira: os resultados são praticamente todos da grande imprensa na primeira página.
Quem é esse?
Ele foi um dentre três que foram detidos ontem no Aeroporto de Brasília com R$ 116 mil.  A diferença é que ele era ex-assessor do ministério das Cidades.  Ministério das Cidades comandado pelo PP. Segundo consta, o avião em que vinha Moreira saiu de Minas Gerais.  E, segundo publicou O Estadão, um outro passageiro seria assessor de um senador.
O assessor do Senador sumiu do noticiário. Ainda que, pasme, Moreira trouxesse no bolso R$ 4 mil.  Os demais eram responsáveis pelos outros R$ 112 mil. Quem são? Benedito Rodrigues de Oliveira e Pedro Medeiros.  Benedito é conhecido da época dos aloprados. Mas, e o Pedro?  Quem é?  De que estado é?  Qual sua idade?  Assessora que senador?
Outra coisa que as avançadas redações jornalísticas da grande mídia não perguntaram e, por isso, não responderam: se Moreira era assessor do Ministério das Cidades, comandado pelo PP, por que foi a Minas supostamente trabalhar na campanha de Fernando Pimentel (PT), mesmo o PP estando no palanque tucano de Pimenta da Veiga?  E quem é o senador?
Mas também faltou um pouco mais de aprofundamento à imprensa. Se é certo que Marcier Moreira atuava junto à comunicação do Ministério das Cidades até este ano, não é certo que ele tenha passado apenas pelo Ministério da Saúde antes.
A partir de 1997, no governo tucano de Fernando Henrique Cardoso, Moreira foi coordenador na Secretaria de Comunicação da Presidência da República na área de publicidade e propaganda, tendo participado de várias licitações de publicidade de órgãos públicos no período, como da Caixa Econômica Federal.
Ainda assim, é de estranhar que se enfatize o nome do sujeito que levava um dinheiro relativamente baixo consigo (R$ 4 mil) e se esqueça Pedro Medeiros, supostamente assessor de um senador.  Era ele que levava os outros R$ 112 mil?
Numa busca no Google o único Pedro Medeiros que surgiu com relação política é paraibano, tucano e aliado do senador Cássio Cunha Lima e Aécio Neves. LEIA MAIS EM

http://www.blogdodanieldantas.com.br/2014/10/detido-com-dinheiro-em-brasilia.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+blogspot%2FjIjMs+%28De+olho+no+discurso%29

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

INN - " DESTUKANIZAÇÃO JÁ COMEÇOU " - GANGUE TUKANA NÃO LIDERA EM NENHUM ESTADO DO BRASIL COM "S"- Via O Cafézinho

Nessa reta final de eleição, os jornais revelam um outro talento. Já conhecíamos a sua vocação de publicar meias verdades, o que é a melhor maneira de mentir. Você conta uma verdade, incontestável, mas incompleta. A depender da maneira pela qual você transmite a informação, pode fazer o leitor chegar a conclusão oposta à que chegaria se tivesse acesso à verdade inteira.
Agora eles inovaram. Estão escondendo as informações.
Ontem, o jornal Globo escondeu a informação principal sobre o coxinha terrorista, a de que ele exigia renúncia da presidenta Dilma.
Claro, seria péssimo para a Globo mostrar Dilma antagonizando com um terrorista. Ainda mais um terrorista coxinha, cujas informações se lastreiam em Veja e Globo.
E ainda mais depois que a mídia vendeu a mentira de que Dilma defendeu o “diálogo” com terroristas, em seu discurso na ONU. A presidenta defendeu a decisão do próprio Conselho de Segurança da ONU, que não autorizou bombardeios à Síria.
*****
Pois bem, as edições impressas de Globo e Folha não trouxeram os mapas de São Paulo. Esconderam acintosamente uma informação essencial para se entender a conjuntura eleitoral no país, visto que São Paulo vinha sendo o último estado importante onde a oposição ainda liderava.
Não é mais.
O Estadão mostra, numa área escondida do site, o seguinte mapa da distribuição dos votos nos estados brasileiros.
mapa

Ou seja, Dilma ganha praticamente no Brasil inteiro. Nos estados cinzas, onde há empate técnico, ela tem um vigoroso viés de alta, na contramão de Marina, que vem caindo.
No Paraná, por exemplo, Marina já está num distante terceiro lugar, segundo o Ibope, e Dilma (em alta) partilha a liderança com Aécio.
parana
No Mato Grosso do Sul, também apresentado como cinza, o último Ibope dá 32% para Dilma, 29% para Marina e 22% para Aécio; o candidato a governador, o petista Delcídio, lidera isoladamente no estado.
Pelo gráfico do Estadão, Marina só lidera no Acre, governado pelo PT, e que deve reeleger o PT; e no Espírito Santo, onde não temos pesquisa atualizada.
Na última pesquisa Ibope, feita no início de setembro, Marina já começara a cair no ES, e não há razão para acreditar que a onda anti-Marina também não chegue lá.

CONTINUE LENDO
http://www.viomundo.com.br/voce-escreve/miguel-rosario-jornais-escondem-que-dilma-lidera-em-sp.html

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

INN - Anvisa interdita lotes do extrato de tomate marca Knorr

Anvisa interdita lotes do extrato de tomate marca Knorr

Ayr Aliski


A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou nesta sexta-feira, 19, a interdição cautelar de lote do produto "extrato de tomate, marca Knorr - Elefante", pela presença de fragmentos de pelo de roedor acima do limite de tolerância. Também foi interditado hoje lote do "Suspiro Duplo", marca Doces Arapongas Prodasa, por ter sido detectada a presença de fragmentos de vidro. As decisões estão presentes em resoluções publicadas no Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira e vigoram pelo prazo de 90 dias.

CONTINUE LENDO

INN - Via Fb - Evandro Gomes - Assim caminha a impunidade

Evandro Gomes
Evandro Gomes 19 de setembro de 2014 07:38
Assim caminha a impunidade
Vários pesos, várias medidas. Enquanto o chamado mensalão petista foi julgado com celeridade (considerado o padrão nacional) e na mesma, e única, instância suprema, o processo dos tucanos recebe tratamento bastante diferente. Doze anos (isso mesmo, doze!) separam a ocorrência do desvio de dinheiro para o caixa da campanha de Eduardo Azeredo (1998) da aceitação da denúncia (2010). Com o processo desmembrado em várias instâncias, os réus vêm sendo bafejados pelo turbilhão de recursos judiciais.
Daí para novas prescrições de penas ou protelações intermináveis, é questão de tempo.
Se na Justiça mineira o processo caminha a passo de cágado, no Supremo a situação não é muito animadora. A ação contra Azeredo chegou ao STF em 2003. Está parada até agora.
Certo mesmo é o contraste gritante no tratamento destinado a casos similares. Em todos os sentidos. Tome-se o barulho em torno de um suposto telefonema do ex-ministro José Dirceu de dentro da cadeia. Poucos condenam o abuso de manter encarcerado um preso com direito a regime semiaberto. Isso parece não interessar. Importa sim reabrir uma investigação sobre uso de celular, que aliás já havia sido arquivada. Resultado: com a nova decisão, por pelo menos mais um mês Dirceu perde o direito de trabalhar fora da Papuda.
Por mais que se queira, é muito difícil falar de imparcialidade diante de tais fatos, que não são os únicos. As denúncias relativas à roubalheira envolvendo trens, metrô e correlatos, perpetrada em sucessivos governos do PSDB, continuam a salvo de uma investigação séria. Isso apesar da farta documentação colocada à disposição do público nas últimas semanas. Vê-se apenas o jogo de empurra e muita, muita encenação. Alguém sabe, por exemplo, que fim levou a comissão criada pelo governo de São Paulo para supostamente investigar os crimes? Silêncio ensurdecedor. Mesmo assim, cabe manter alguma esperança na Justiça -desde que seja a da Suíça.
 
NÃO VOTE EM PARTIDO QUE TEM A CUMPLICIDADE DA IMPRENSA.
VOTE NAQUELE QUE ATACADO PELA IMPRENSA = SE O PT GANHAR SERÁ FORTEMENTE FISCALIZADO POR NUMEROSOS INIMIGOS. É POR ISSO QUE VOTO NO PT. = GOSTO DE VER A IMPRENSA ATACANDO GOVERNOS,SEM DAR TREGUA.

terça-feira, 16 de setembro de 2014

INN - O TERROR DO NORDESTE: O rei da corrupção brasileira ataca Dilma, Lula e ...

 Mesmo com um currículo recheado de casos de
corrupção  FHC não se cansa de ser
hipócrita.








O TERROR DO NORDESTE: O rei da corrupção brasileira ataca Dilma, Lula e ...: FHC foi, inegavelmente, o governo mais corrupto da história do Brasil, quiçá da América Latina. FHC, além de ter sido o governo m...

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

INN - QUEM CONVERSA COM LADRÕES DESCARADOS É A JUSTIÇA, . . .AÍ MP, STF : VAMOS CONVERSAR ?

YL  - TEXTO ESCLARECEDOR  . . .

OLÁ! PSDB? VAMOS CONVERSAR? SERÁ QUE VOCÊS CONSEGUEM? VAMOS LÁ!

OLÁ! PSDB? VAMOS CONVERSAR? SERÁ QUE VOCÊS CONSEGUEM? VAMOS LÁ!
Claro, Vamos começar pelos assuntos “mal resolvidos”. O Senador Aécio Neves (PSDB-MG), tem incansavelmente convidado a população para uma “conversa” que muito me intriga: Seria ele um típico “sem vergonha” ou apenas um politico que leva ao pé da letra o dito popular: “O povo tem memória curta”?
É quase utópica a ideia de que um dia o PSDB sentará a mesa para conversar e dialogar com o povo e os movimentos sociais, mas, supondo que esse dia chegue, antes de qualquer conversa ser iniciada, os tucanos deveriam falar sobre todas as vezes que se calaram, se omitiram e se esquivaram das acusações de corrupção. Muitos podem não lembrar ou até mesmo desconhecer a historia recente do nosso país, o fato é que o PSDB foi e é protagonista dos maiores escândalos de corrupção do final do século passado e inicio do século presente. Isso nos rende um leque de assuntos que podemos trazer à roda de “prosa” com os tucanos.
Vamos conversar Brasil à fora sobre a Privataria Tucana comandada pelo ex-Ministro da Saúde, José Serra, no governo de Fernando Henrique Cardoso. Vamos conversar também sobre os R$ 200 mil que o ex-governador do Amazonas, Amazonino Mendes, pagou para cada um dos deputados federais que votaram a favor do projeto de lei de FHC que legalizava a reeleição. Vamos para o sul do país e aproveitemos a boa conversa para falarmos sobre o Senador Álvaro Dias (PSDB-PR), que foi denunciado por sua filha pelo não pagamento de pensão, vale lembrar, que o senador mantém cinco mansões avaliadas em R$ 16 milhões, valor relativamente alto para quem vive apenas da atividade politica. Em São Paulo, podemos ouvir as explicações do PSDB sobre o “Propinoduto tucano”, que durante 20 anos desviou bilhões dos cofres públicos através de licitações das linhas de metrô do estado. O esquema funcionou durante todos os governos do PSDB em São Paulo (Mario Covas, José Serra e atualmente com Geraldo Alckmin).

Para não perder o bom humor tucano, podemos visitar o Amazonas e conversar com o Deputado Estadual Artur Bisneto (PSDB-AM), que em visita a cidade de Fortaleza resolveu mostrar seu órgão reprodutor para duas adolescentes em uma praça publica, não satisfeito, ao ser preso e levado ao distrito policial, resolveu mostrar o “bumbum” para a delegada. Artur Bisneto é filho do ex-Senador pelo PSDB-AM, Artur Neto (aquele que ameaçou “dar uma surra no Lula” dentro do congresso nacional).

Atualmente Artur (Pai) é Prefeito de Manaus e em apenas 10 meses de gestão já contabiliza cerca de 10 escândalos em seu mandato (média de 1 por mês), dentre os quais podemos citar: 1- Superfaturamento no aluguel das escolas municipais, 2- Demissão do ex-Subsecretário de educação por denunciar o que chamou de “A Máfia da SEMED” (Deveria ganhar um prêmio por denunciar um esquema de corrupção mas acabou demitido por “falar demais”), 3- Compra de 112.134 gibis da Turma da Mônica ao preço total de R$ 3.517.082,92 (Cada gibi saiu por R$ 31,00 enquanto nas bancas, eles custam R$ 4,50), 4- Construção de paradas de ônibus no valor de R$ 20.000,00 a unidade (enquanto o custo de cada uma é estimado em cerca de R$ 5.500,00) e 5- Agressão a estudantes, aumento do valor da tarifa do transporte coletivo e etc.
Em Minas Gerais, com o Aécio, podemos ouvi-lo sobre os R$ 4,3 Bilhões da saúde que foram parar no “Saneamento”. Ainda no sudeste, podemos aproveitar a oportunidade de dialogar e falar umas poucas e boas para o Governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP), a respeito do Massacre de Pinheirinho, no interior de São Paulo (Detalhe, o prefeito da cidade de São José dos Campos, onde se localizada a comunidade de Pinheirinho, é do PSDB).
Mas nossa conversa, por enquanto, é focada em Roraima. Queremos saber do Governador José de Anchieta Junior (PSDB), como ele conseguiu comprar um terreno da União, medindo 1 milhão de metros quadrados, ao custo de R$ 25 mil, de um garoto de 19 anos que segundo as papeladas adquiriu o terreno com 12 anos de idade? E ainda, com que dinheiro conseguiu construir uma mansão avaliada em R$ 2 milhões?.
O bom de conversar com o nosso querido Anchieta é que temos “prosa” para o ano inteiro, a começar pelas promessas de campanha não cumpridas como o hospital de Rorainópolis, a modernização do Distrito Industrial, o fim do desemprego no estado e a construção de uma clinica para tratamento de pacientes com câncer. Inclusive, podemos conversar enquanto pedalamos pelas ruas “asfaltadas” de Boa Vista, com as bicicletas que o amigo Anchieta distribuiu.
A verdade é que eu não quero e não faço questão de conversar com mais ninguém desse partido. Cansei de ser governado por quem valoriza mais o capital do que as pessoas.

Por: Adriano Reis / Medo de Vocês

INN - OLHEM SEUS ÍCONES E PATROCINADORES, MOSTREM PRO AÉCIO DA LISTA DE FURN45 !




domingo, 27 de julho de 2014

INN - JESTÃO OPORTUNISTA EM MG - AEROAÉCIO É UM TREM DOIDO NO BOLSO DOS MINEIROS !



Aécio virar governador foi um bilhete premiado para a parentada do tucano na cidade de Cláudio (MG).

Agora é oficial. O governo de Minas Gerais desmente a versão de Aécio Neves (PSDB) de que a desapropriação da terra do tio do tucano, quando ele era governador, ficaria "só" em torno dos R$ 1 milhão já pagos em juízo.

A LDO, Lei de Diretrizes Orçamentárias do Estado de Minas para 2015, prevê pagar o valor de astronômico de R$ 20.587.174,50 (o documento pode ser conferido aqui na página 212, obtido no link oficial da Secretaria de Planejamento de Minas).

Somando aos R$ 1 milhão já pagos, se o valor previsto na LDO for confirmado judicialmente, o tio do Aécio vai ganhar dos cofres públicos R$ 21,5 milhões pelo pedaço de terra onde foi construído o aeroporto de Cláudio a 6 km da fazenda do próprio Aécio.

Nessa brincadeira os cofres públicos de Minas torram R$ 35,5 milhões (14 da construção mais 21,5 da desapropriação) para Aécio ter um aeroporto a 6 km da fazenda do próprio Aécio em Cláudio, onde ele gosta de passear e diz ser "sua Versalhes".

Em tempo: O que o comentarista da rádio CBN das Organizações Globo tem a dizer agora, já que afirmou que a família de Aécio "não teria levado vantagem"?

LEIA MAIS EM

quinta-feira, 26 de junho de 2014

INN - Agora me pergunte sobre a reação da mídia ao saber que um criminoso, ladrão do dinheiro público, com provas em vídeo e testemunha em delação premiada, condenado em primeira instância e preste a ter a mesma condenação confirmada em segunda instância, pode ser candidato como se fosse um homem de bem que não devesse nada a justiça? Simplesmente silenciou como faz com todos os casos de corrupção que não tenham ligações com o PT. Por esse raciocínio sinuoso só quem é corrupto é o PT.


Vejamos como é a verdadeira face da justiça brasileira, campeã mundial da impunidade. José Roberto Arruda depois de filmado recebendo propina para facilitar ações criminosas no governo que esteve à frente em Brasília e ter sido preso, condenado com base em testemunho obtido por meio de delação premiada de um ex comparsa, percebendo que ficaria impune decidiu candidatar-se novamente ao governo do Distrito Federal.Tudo ia bem. Não fosse por um detalhe: para não passar por um monumental vexame, especialmente depois que a justiça resolveu ser exemplar com os "mensaleiros" petistas, agora que poderosos são condenados, (Pausa para rir.) O Ministério Público decidiu sair da letargia que comprometia sua imagem nesse caso e como que num passe de mágica passou a dá celeridade aos processos de Arruda que estavam esquecidos nos escaninhos e depois de tantos anos conseguiu condenar Arruda em primeira instância. Somente agora que Arruda ousou desafiar a impunidade que acoberta suas ações criminosas, lançando-se candidato ao governo de Brasília. Se tivesse permanecido oculto no anonimato dos últimos anos nada teria lhe acontecido. São conchavos informais, pactos de silêncios que há entre as elites. Eles se protegem mutuamente.

Arruda não se fez de rogado e recorreu. Ele sabe exatamente em qual terreno escorregadio pisa. Se tivesse qualquer dúvida de que seria derrotado no recurso que interpôs não teria recorrido. Dá passos calculados porque conhece exatamente como funciona a justiça e o tamanho dos braços que ela tem para ser capaz de alcançá-lo. Todavia, o julgamento em segunda instância estava marcado e se porventura tivesse se realizado a confirmação da sentença dada a Arruda seria favas contadas. Essa segunda condenação sepultaria suas chances eleitorais, o enquadraria na lei da ficha limpa. Para "surpresa" geral faltando 11 dias do término do prazo para o registro de candidaturas, Arruda é beneficiado por uma decisão monocrática de um juiz do STJ que mandou suspender o julgamento. Arruda não tinha a menor dúvida de que isso aconteceria. Não se exporia em vão. Seus amigos deram o encorajamento de que precisava. Poderosos grupos de Brasília que agem nos subterrâneos.

Agora Arruda vai poder registrar sua candidatura e disputar as próximas eleições com chances reais de ganhar, já que pesquisas apontam seu amplo favoritismo causando espanto, porquanto um dos mais violentos protestos contra corrupção aconteceu em Brasília durante a fatídica jornada de junho de 20013 quando quase invadem o palácio do planalto e agora um gatuno, ladravaz do dinheiro público está em vias de ser eleito mais um vez governador de Brasília pelas mãos dos mesmos que foram protestar contra a corrupção e quase invadem a sede do governo federal e escalpelam a presidenta Dilma.

Detalhe: se eleito, uma novela será contada em capítulos com inúmeros recursos questionando a eleição de Arruda que só governará por força de liminares que certamente conseguirá na justiça. Veja que essa estória de que a justiça age para punir poderosos foi uma armação muito bem engendrada para enganar os incautos e os analfabetos políticos que se deixaram arrastar pelo ódio visceral ao Partido dos Trabalhadores. Como podem ver, José Roberto Arruda está livre e desimpedido para concorrer ao governo do Distrito federal, um ladrão que permanece na impunidade e que vai disputar mais uma eleição com toda sua ficha imunda e não há nenhuma reação mais vigorosa das entidades de combate a corrupção em protesto a essa falta de vergonha e respeito ao cidadão brasileiro. 


Agora me pergunte sobre a reação da mídia ao saber que um criminoso, ladrão do dinheiro público, com provas em vídeo e testemunha em delação premiada, condenado em primeira instância e preste a ter a mesma condenação confirmada em segunda instância, pode ser candidato como se fosse um homem de bem que não devesse nada a justiça?

Simplesmente silenciou como faz com todos os casos de corrupção que não tenham ligações com o PT. Por esse raciocínio sinuoso só quem é corrupto é o PT. 

Observe e esteja convencido de que se no lugar de José Roberto Arruda fosse um petista, não importa qual, nas mesmíssimas condições, dependendo de uma decisão judicial para continuar candidato com chances de disputar uma eleição majoritária para governador, pesando sobre seus ombros uma condenação judicial de primeira instância em vias de ser confirmada em segunda instância, ainda mais quando isso eliminaria qualquer possibilidade de uma candidatura uma vez que a confirmação em segunda instância de uma condenação judicial se dá com base numa decisão colegiada, forçosamente trazendo impedimento que tornaria tal pessoa inelegível, ao invés de Arruda, fosse um petista nessas condições, repito, esse juiz não teria culhão para tomar a decisão que tomou em favor de Arruda. 

A mídia direcionaria toda sua pesada artilharia e holofotes para figura do juiz e fosse um com rabo preso, envolvido em algum tipo de conchavo ou maracutaia, seria chantageado e ameaçado de ter seus podres revelados mediante uma campanha de assassinato de reputação nos grandes meios de comunicação para impedir que se levasse adiante qualquer decisão ainda que em caráter liminar que beneficiasse um candidato que fosse um petista no lugar de José Roberto Arruda.

Fica assim escancarado que esse negócio de que poderoso vai em cana é conversa pra boi dormir. Nunca um poderoso nesse país foi em cana e se foi por lá permaneceu menos tempo do que deveria. Chamar José Dirceu, Genoíno, Delúbio e JPC de poderosos é um escárnio. 

Agora um bandido como Arruda pode concorrer ao governo do Distrito Federal. Não há nenhum problema, se for um bandido de direita. Se for um bandido de esquerda, não pode, e se tiver ligações com o PT, pior. E o juiz parecia saber disso, tanto que nem se preocupou em tomar tal decisão já antevendo que não haveriam maiores reações na velha mídia e de fato não houveram o que causa espécie, diante do clamor que se forma em nome de um pretenso moralismo que depuraria a política da roubalheira desenfreada, praticada por gente como José Roberto Arruda, que teima em voltar feito fantasma para nos apavorar. 

Fica assim combinado: os bandidos de orientação ideológica ligada ao campo da direita, têm salvo conduto dado por todas as instituições da República para roubar. Roubem que nada vai lhes acontecer. Entretanto, se estiverem ligados ao espectro ideológico de esquerda, irão pra Papuda. E fim de papo.
____________________________________________________________________
Ministro do STJ suspende julgamento que poderia tornar Arruda inelegível
SEVERINO MOTTA
DE BRASÍLIA

O ministro do STJ (Superior Tribunal de Justiça) Napoleão Nunes Maia Filho determinou a suspensão de um julgamento que aconteceria nesta quarta-feira (25) e poderia tornar José Roberto Arruda, ex-governador do Distrito Federal, inelegível.
Candidato ao governo pelo PR, Arruda –que foi preso nos desdobramentos da operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal– só sofreu condenações na Justiça de primeira instância, o que não o torna inelegível de acordo com as regras da Ficha Limpa.
O julgamento suspenso iria ocorrer no TJDFT (Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios), para avaliar recurso apresentado por Arruda contra uma condenação por improbidade administrativa no esquema conhecido como "mensalão do DEM". Se a condenação fosse mantida pelo órgão colegiado, ele ficaria inelegível. A decisão agora depende do resultado de outra ação, sobre a imparcialidade do juiz do caso.

Alan Marques - 6.mai.10/Folhapress



Ex-governador do DF, José Roberto Arruda foi condenado em primeira instância pelo 'mensalão do DEM'
No pedido feito ao STJ, a defesa do ex-governador alega a condenação em primeira instância, decidida pelo juiz Álvaro Ciarlini, não é válida.
A defesa argumentou que Ciarlini foi tido como suspeito para atuar no caso quando o STJ analisava um pedido de suspeição apresentado por outro envolvido na Caixa de Pandora –Leonardo Prudente, pelo ex-presidente da Câmara do DF.
Como Ciarlini é o responsável por todas as ações relativas à Caixa de Pandora, os advogados de Arruda alegam que a suspeição também deve valer para seu cliente.
O pedido de suspeição contra Ciarlini ainda não teve seu julgamento definitivo e, por isso, o ministro Nunes Maia entendeu que o TJDFT só poderá analisar o caso de Arruda quando concluir se o juiz está ou não impedido de atuar no caso.
Com o julgamento suspenso, Arruda deverá conseguir registrar sua candidatura ao governo do DF. O prazo para o registro encerra-se no dia 5 de julho.
Se for condenado após registrar sua participação nas eleições, o Ministério Público poderá recorrer da candidatura de Arruda, mas não é certo que ela seja impugnada, uma vez que não há jurisprudência na Justiça Eleitoral sobre a derrubada de candidatos que só foram condenados após se inscreverem formalmente no pleito.
'MENSALÃO DO DEM'
O caso 'mensalão do DEM', foi revelado pela operação Caixa de Pandora. A Polícia Federal apurou a compra de apoio político na Câmara Legislativa do Distrito Federal quando Arruda era governador pelo DEM. A mesma sentença também cita a deputada Jaqueline Roriz (PMN-DF) e seu marido, Manoel Neto. Durval Barbosa foi apontado como o operador financeiro do esquema de distribuição de propina.
Os quatro foram condenados por improbidade administrativa, na 2ª Vara da Fazenda Pública do DF, e sentenciados a pagar R$ 1,1 milhão de multa, entre ressarcimento e danos morais.
OUTRAS CONDENAÇÕES
Arruda também foi condenado por improbidade administrativa em outra ação, por causa de um jogo amistoso entre Brasil e Portugal em 2008.
A decisão do juiz Lizandro Gomes Filho, da 1ª Vara de Fazenda Pública do DF, foi favorável a um pedido apresentado pelo Ministério Público do DF, que apurou irregularidades no jogo de reinauguração do estádio Valmir Bezerra Campelo, conhecido como Bezerrão.
O amistoso entre as seleções do Brasil e de Portugal, em 19 de novembro de 2008, custou R$ 9 milhões aos cofres do governo local e não houve licitação. De acordo com as investigações, a autorização da liberação do dinheiro foi dada por Arruda.
Ministro do STJ suspende julgamento que poderia tornar Arruda inelegível


Postado há por

quarta-feira, 14 de maio de 2014

INN - PESQUISA IBOPE - DILMA VENCE EM QUALQUER CENÁRIO - ADEUS PATÉTICOS !

 
Via Facebook
  Carlos Diversidadepb Católica 14 de maio de 2014 20:24
Eleições 2014, Pesquisa Ibope
20.março.2014 18:00:45

Ibope mostra estabilidade e Dilma mantém expectativa de vitória no 1º turno

Na primeira pesquisa feita pelo instituto em 2014, presidente obtém até 43% das intenções de voto; Aécio e Campos registram 15% e 7%

Daniel Bramatti e José Roberto de Toledo

A primeira pesquisa Ibope deste ano sobre a corrida presidencial revela um quadro de estabilidade: Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição, tem 43% das intenções de voto, o mesmo índice que foi registrado em novembro de 2013, data do levantamento anterior. O tucano Aécio Neves oscilou um ponto porcentual para cima, de 14% para 15%, e Eduardo Campos (PSB) se manteve com 7%.

Em outro cenário analisado pelo Ibope, em que os nomes de cinco “nanicos” são incluídos na lista apresentada aos entrevistados, Dilma, Aécio e Campos aparecem, respectivamente, com 40%, 13% e 6%. Somados, os demais candidatos ficam com 4%. Ou seja, mesmo assim, a representante do PT tem mais eleitores que a soma dos adversários (40% a 23%) – condição necessária para vencer no primeiro turno.

Em um eventual segundo turno, Dilma também seria vitoriosa. Contra Aécio, sua vantagem seria de 27 pontos porcentuais (47% a 20%). Em uma disputa direta com Campos, a distância chegaria a 31 pontos (47% a 16%).

Apesar do favoritismo da candidata do governo, a maioria (64%) do eleitorado afirma esperar que o próximo presidente “mude totalmente” ou “muita coisa” na próxima gestão.

Apenas 32% esperam continuidade “total” ou de “muita coisa”.

O Ibope perguntou somente aos entrevistados que desejam mudanças se estas devem ser promovidas com Dilma ou com outra pessoa na Presidência. Nesse caso, a presidente tem apoio de apenas 27%. Outros 63% afirmam que querem mudar o País com outro governante.

Quando todo o universo de entrevistados é consultado, o resultado é diferente. Diante da pergunta “quem tem mais condições de promover as mudanças de que o País ainda necessita?”, Dilma aparece com 41%, com larga vantagem sobre Aécio (14%) e Campos (6%).

O Ibope também testou cenários em que Marina Silva é listada como candidata, no lugar de Eduardo Campos – apesar da possibilidade remota de que a chapa do PSB seja alterada até a eleição. Em uma eventual disputa entre Dilma, Aécio e Marina, as intenções de voto são de 41%, 14% e 12%, respectivamente. Marina vem perdendo terreno nas simulações desde outubro, época em que era a preferida de 21% do eleitorado.

Em um eventual segundo turno entre a atual presidente e a ex-ministra do Meio Ambiente e ex-candidata a presidente pelo PV, Dilma venceria por 45% a 21%.

O Ibope ouviu 2.002 pessoas em 140 municípios. As entrevistas foram realizadas entre os dias 13 e 17 de março. A margem de erro do levantamento é de dois pontos porcentuais para mais ou para menos. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o número 31/2014.

O nível de confiança utilizado para calcular o tamanho da amostra e a margem de erro é de 95%. A pesquisa foi feita por iniciativa do próprio Ibope – o instituto aparece como contratante na documentação entregue à Justiça Eleitoral.

terça-feira, 13 de maio de 2014

INN - Via Justiceira de Esquerda - Paulo Moreira Leite: PRÓXIMA VÍTIMA DE BARBOSA PODE SER VOCÊ


Segundo o colunista da Istoé Paulo Moreira Leite, ao revogar uma jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça em vigor desde 1999, quatro anos antes dele próprio ser nomeado para uma cadeira no STF, Joaquim Barbosa criou uma situação nova, que atinge todos nós: “Confirmou a disposição de administrar a Justiça brasileira com métodos de ditador”
13 DE MAIO DE 2014 
247 – O colunista da Istoé Paulo Moreira Leite alerta a população sobre o impacto da decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, de revogar o direito de trabalho externo de Delubio Soares, condenado na AP 470. Leia:
Você pode duvidar mas o retorno de Delúbio Soares a Papuda representa uma ameaça aos direitos de toda sociedade
O retorno de Delúbio Soares a Papuda, sem direito ao trabalho externo, não permite qualquer dúvida. Depois do retorno provável de outros condenados, o próximo da lista é você. 
Ao revogar uma jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça em vigor desde 1999, quatro anos antes dele próprio ser nomeado para uma cadeira no STF, Joaquim Barbosa criou uma situação nova, que atinge todos nós. Confirmou a disposição de administrar a Justiça brasileira com métodos de ditador. 
Ninguém com mais de 21 anos de idade, vacinado, em pleno gozo de suas faculdades mentais, tem o direito de imaginar que se trata de um caso isolado, limitado a duas dezenas e meia de pessoas. 
Estamos falando da Justiça sob encomenda, aquela que se pratica para atingir um alvo político, adaptando todos os meios disponíveis para chegar aos objetivos necessários. Você pode chamar isso de "maior julgamento da história." Pode dizer que vai "eliminar a impunidade." Ou pode dizer que é preciso "dar exemplo."
Você pode ter a opinião que quiser sobre os condenados da AP 470. Pode achar que são os maiores criminosos de todos os tempos. Pode achar que são inocentes até que se prove o contrário -- e isso não se provou no julgamento.
Mas precisa compreender que atos de truculencia mais dura, gestos arbitrários, medidas que nada tem a ver com a Justiça, são uma ameaça aos direitos da sociedade inteira -- mesmo que o atingido, em determinado momento, seja uma única pessoa. 
Não se imagina que Joaquim Barbosa pretenda levar de volta para a cadeia aqueles 100 000 prisioneiros que estão na mesma situação, no país inteiro. Seria impraticável e desnecessário. O alvo é seletivo, bem definido e tragicamente previsível. 
Dois anos depois do julgamento, em 2012, quando se disputava a eleição municipal, no ano de eleições presidenciais de 2014, teremos o circo destinado a caçar – no laço da truculência -- prisioneiros ligados ao PT.
Mais uma vez.
Joaquim Barbosa é um homem mau, como disse o professor Celso Bandeira de Mello, mas sua maldade não é delirante, nem fora de controle. É calculada, planejada e medida. Sabe aonde quer chegar e age com senso de estratégia.
Esquece os réus do mensalão PSDB-MG que nem foram levados a julgamento, embora a denúncia seja mais antiga. Esquece o DEM. Todos, no PSDB e no DEM, tiveram direito ao desmembramento, ao segundo grau de jurisdição. Nenhum será submetido a teoria do domínio do fato. Nenhum terá a pena agravada artificialmente.
Esquece o ex-ministro tucano Pimenta da Veiga, que recebeu 300 000 reais na conta, meses depois de deixar o ministério, em 2003, e sequer foi denunciado até agora. Esquece Eduardo Azeredo, que conseguiu, pela renúncia, ser levado para a primeira instância – José Dirceu, Delúbio Soares, 90% dos condenados da AP 470, não tinham sequer um mandato para renunciar. Mas foram julgados pelo STF, que não possui competência original para tanto, e agora não têm onde cobrar o direito universal a revisão completa do julgamento, como os demais terão caso venham a ser considerados culpados.
E se você ainda pensa assim, “bem-feito, quem mandou ser mensaleiro?!” é bom começar a ler um pouco sobre as tragédias políticas para entender como elas ocorrem. 
O enredo das ditaduras sempre encontra personagens obscuros, reais ou construídos pelos meios de comunicação de cada época, que, culpados ou não por episódios difíceis de compreender, servem como uma luva para a consolidação de um poder acima da sociedade.
Até o incendio do Reichstag, que ajudou a fortalecer o nazismo, foi um caso difícil de compreender, lembra?
A Revolução Francesa transformou-se numa ditadura e, mais tarde, num império, pela prisão de seus heróis mais populares.
Um dos primeiros a ir para guilhotina foi Danton, acusado de corrupção e julgado sumariamente. Um dos últimos foi Robespierre, que era chamado o incorruptível. No fim da linha, o morticínio pela guilhotina foi tão grande que até o crescimento demográfico do país foi atingido.
O vitorioso foi um general, Napoleão, mais tarde coroado imperador, com cetro, coroa e manto, titular de um regime onde os direitos democráticos recém-criados foram esfacelados e até o direito do povo escolher seus representantes foi dificultado.
Se você acha que a França do final século XVIII não tem nada a ver com o Brasil de 2014, assista a entrevista a Roberto DÁvilla onde Joaquim Barbosa afirma sua admiração por Napoleão Bonaparte. 
Está lá, em vídeo, na internet. Ninguém tem o direito de dizer que não foi avisado.
Como sempre acontece, uma ditadura -- judicial ou não -- só pode consolidar-se num ambiente de covardia institucional. 
Sem o silêncio e sem gestos amigos, cúmplices, de quem deveria fazer a democracia funcionar, uma ditadura não consegue se constituir.
Veja o que acontecia em 64, sob o regime militar.
A tortura precisava da cumplicidade de médicos que, de plantão na caserna, examinavam prisioneiros e procuravam orientar, cientificamente, o trabalho dos carrascos. Tentavam prever, macabramente, até onde o sofrimento poderia avançar. Mais tarde, quando o serviço estava terminado, apareciam legistas para assinar atestados de óbito de acordo com a versão conveniente. 
No cotidiano, a sociedade daquele tempo precisava ser alimentada por mentiras em letras de forma. Não faltavam jornais nem jornalistas capazes de publicar notinhas onde a morte de militantes pela tortura era descrita como atropelamento e suicídio.
Também não faltavam aqueles repórteres que, alimentados pelos órgãos de informação, produziam textos que contribuiam para o endurescimento político, a ampliação do sofrimento de quem não podia defender. Nasceu, então, o repórter Amoral Neto, lembra? 
Símbolo da tortura, o delegado Sergio Fleury era glorificado.
Não faltaram, na construção do regime, políticos capazes de aprovar, em Brasília, a vacância da presidencia da República para dar posse aos generais – embora o presidente constitucional, João Goulart, não tivesse deixado o país. Como era preciso legalizar o golpe, o STF deu aval a decisão do Congresso.
Atualize os personagens acima, substitua nomes, endereços. Lembre que vivemos, obviamente, sob outro regime político, de liberade, democracia. Aí comprove, você mesmo, como os papéis e as situações começam repetir-se, caso a caso.
A medicina subordinou-se a política, no caso de José Genoíno. Não vamos julgar o valor científico de tantos laudos medicos diferentes e contraditórios. Vamos admitir o óbvio: Genoíno jamais teria sido examinado e reexaminado tantas vezes se não houvesse o interesse exclusivo de justificar seu retorno a prisão de qualquer maneira.
A oposição a Jango, em 1964, chegou a acreditar que a ditadura seria de curta duração. Só não gosta de admitir a razão de ter cultivado uma crença tão pouco crível. Simples. Queria que o regime militar durasse o tempo necessário para o extermínio político de adversários que não poderiam ser vencidos nas urnas. Imaginava que depois receberia o Planalto numa bandeja. Não foi enganada, como gosta de sugerir. Enganou-se.
Quanto aos jornais, a dúvida é saber qual será o próximo a pedir desculpas pelo papel que desempenhado em 64. Quando começarão a reavaliar o que fizeram na AP 470? 
A covardia institucional de hoje repete o comportamento de meio século. O fundamento é o mesmo.
Quem não pode derrotar o PT nem aquilo que ele representa – confesso que muitas vezes é difícil saber o que realmente importa hoje – espera que medidas de ditadura ajudem no serviço que eles próprios não conseguem realizar nas urnas. Essa é a razão fundamental do silêncio.
Postado há por

sexta-feira, 25 de abril de 2014

INN - PADILHA DESMENTE OS GOLPISTAS REAÇAS DA OPOSIÇÃO PATÉTICA

Padilha mata a cobra e mostra-a morta: desfaz mentiras e enfrenta detratores. Labogen tem a ver com tucanos. 

Via - osamigosdopresidentelula 

"Tenho orgulho da Polícia Federal. Queira Deus que a Polícia de SP tenha a mesma valorização, estrutura e autonomia operacional da PF. Será muito bom para São Paulo" - Alexandre Padilha
Se deu mal quem foi com sede ao pote tentando atacar o ex-ministro Alexandre Padilha. Ele convocou entrevista coletiva, desmentiu ponto por ponto as ilações feitas contra ele, disse que o Labogen não teve contratos com o Ministério da Sadúe em sua gestão (teve quando o tucano José Serra era ministro) e disse que processará quem usar seu nome indevidamente.

Eis as principais declarações do ministro na entrevista:

Desmentidos:

"Mente quem diz que indiquei Marcus Cezar Moura para qualquer cargo"

"Mente quem diz que houve contrato do Ministério da Saúde com a Labogen"

"Mente quem diz que há envolvimento meu com o doleiro citado"

"Eu repudio qualquer envolvimento do meu nome em mensagens trocadas por terceiros"

"Vou interpelar judicialmente qualquer pessoa que tenha usado meu nome em vão. Não admito que usem meu nome em vão"

Labogen atuou foi em gestões tucanas. Na de Padilha não houve contrato e todos os procedimentos foram públicos e transparentes.
"Procurem no Portal da Transparência se há qualquer contrato com Laborgen na minha gestão.Não há. Há em outras gestões, mas na minha não"

"Se alguém pensou que poderia ultrapassar qualquer rito regular no Ministério da Saúde bateu na porta errada"

"Quem apresenta projeto de PDP's (Parceria de Desenvolvimento Produtivo) são os laboratórios públicos".

"O laboratório da Marinha é que teria contrato com Ministério da Saúde e receberia recurso depois de passar por filtros e mecanismos estabelecidos. O papel do Labogen seria fornecer matéria prima para a produção. E teriam que ser produzidos no Brasil ou seria excluído."

"As PDP's já existiam na gestão anterior. Na minha gestão estabelecemos mecanismos de transparência e regras para que fossem firmadas".

"A apresentação dessas parcerias é feita publicamente. No caso da Labogen isso foi feito em dezembro. Entre a apresentação pública e o contrato diversas etapas precisariam ser vencidas"

"Apoiei publicamente todas as medidas de apuração sobre o laboratório, o que foi reforçado após decisão do Ministério da Saúde."

Sem medo de cara feia

"Não tenho medo de cara feia, arrogância, injúria ou ilações. Se tivesse, não teríamos o Mais Médicos"

"Foi também com essa conduta mentirosa que inventaram inverdades sobre meu diploma de infectologista"

"Não tenho medo de injúria, mentira. Ouvi muitas durante o Mais Médicos. Ouvi muitas sobre meu diploma. Quem acha isso vai me conhecer."

Pré-candidatura crescendo, críticas à falta d'água do Alckmin, incomodou e gerou retaliação
  

"Vou continuar focado nos problemas de São Paulo. O que vi essa semana foi uma tentativa de inibir debates sobre os problemas de SP."

"O racionamento está acontecendo. A própria imprensa diz isso. Falta transparência, sinceridade e energia para obras no governo atual (de São Paulo)"

"Toda vez que aponto um problema para São Paulo e quero dar soluções recebo de volta ataques, raiva e grosseria"

"Vou continuar debatendo os problemas do estado de São Paulo como tenho feito como coordenador da Caravana Horizonte Paulista"

"A pré-candidatura que estamos construindo, o sucesso da Caravana Horizonte Paulista mostra que estamos incomodando"

"Continuo dedicado ao meu papel de coordenador da Caravana Horizonte Paulista, dado pelo PT e recebido muito bem pela sociedade paulista"

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Governo Paulista do PSDB mascara rebeliões na Fundação Casa... (INN) Via Justiceira de Esquerda

Governo Paulista do PSDB mascara rebeliões na Fundação Casa e a imprensa nauseabunda, corrupta, golpista, mentirosa, manipuladora, lacaia, omissa, entreguista, sonegadora, racista e larápia brasileira finge que não sabe de nada. Um governo federal com essa gente do PSDB sequestaria a realidade e viveríamos numa ilusão montada pela mídia cúmplice 'JN' à frente.



Governo de São Paulo divulga apenas 3 em cada 10 rebeliões na Fundação Casa

Por Wanderley Preite Sobrinho e Beatriz Atihe - iG São Paulo
Foram 29 rebeliões, 20 tumultos e 29 fugas em 2013. Dados oficiais registraram número menor: 8 rebeliões e 11 tumultos
O número de rebeliões e tumultos na Fundação Casa em todo o Estado de São Paulo em 2013 superou as estatísticas divulgadas oficialmente. Levantamento feito pelo iG revela que foram registrados 29 rebeliões, 20 tumultos e 29 fugas de menores entre janeiro e dezembro na antiga Febem. De acordo com os números oficiais, ocorreram apenas 8 rebeliões e 11 “princípio de tumultos” no ano passado.
Diretor adjunto da Conectas Direitos Humanos, Marcos Fuchs considera polêmica a divisão entre rebelião e tumulto. “É necessário estabelecer um critério para separar o que é tumulto e o que é rebelião. Acho importante que a administração da Fundação, os jornalistas e as entidades sejam avisados para que depois haja mais facilidade na contagem desses dados.”
A reportagem utilizou como base de dados as notícias divulgadas pela grande imprensa entre 1º de janeiro e 31 de dezembro do ano passado sob o título de tumultos ou rebeliões. Mesmo que as 21 rebeliões acima das estatísticas oficiais fossem convertidas em tumultos, estes chegariam a 41 ocorrências, número bem acima das 11 contabilizados pelo Estado.

Divulgação
Agente sócio educativo teve braço quebrado em "tumulto" em uma unidade da Fundação Casa no início do mêsDe acordo com a Fundação, o governo só considera rebelião quando a ocorrência envolve “todos ou quase todos os adolescentes de um Centro de Atendimento”. “Consideramos uma ocorrência como rebelião quando há reféns, fogo no Centro, agressão a funcionários ou entre adolescentes e grandes danos patrimoniais (Centro severamente danificado)”.
“O governo mudou a nomenclatura de rebelião para tumulto porque aí os números são facilmente manipulados”, acredita o agente sócio educativo Adriano Neiva, de 31 anos. “Temos casos de funcionários internados depois de tomar paulada, cadeirada, ferrada, mas o governo não registrou como rebelião só porque não pegou fogo na unidade. Isso acontece diariamente.”
Também responsável por cuidar dos menores, o agente Arnaldo Garcia (55) conta “pelo menos 20 tumultos no ano passado” só na unidade em que trabalhava, na Casa Ipê, na rodovia Raposo Taraves. Esses dados não foram contabilizados pela reportagem. “Quando fui agredido, tive fratura do osso da maxila e do assoalho da órbita do olho. Mas o pior são as consequência psicológicas.”
Ex-secretário nacional de segurança pública, o coronel José Vicente da Silva elogia a administração estadual, especialmente a distribuição dos menores em centros espalhados pelo Estado. “A medida evita superlotação e aproxima os menores infratores de suas famílias. Acredito ser uma boa decisão. É uma instituição que está sendo administrada com seriedade.”
Divulgação
Funcionário da Fundação Casa teve a cabeça atingida após passar quase três horas como refém de menores rebeladosO coronel diz, no entanto, que a falta de divisão dos menores por idade e grau de periculosidade em alguns centros, como relatam os agentes, acontece por uma série de questões: “falta de infraestrutura, de vagas e de desenvolvimento no desempenho dos conselhos tutelares (algumas cidades nem tem conselho tutelar), além da falta de preparo dos profissionais da Fundação Casa.”
A pior rebelião no ano passado aconteceu no dia 15 de julho, embora a Fundação tenha classificado de tumulto por não ter havido utilização de fogo. Na ocasião, 68 funcionários foram mantidos como reféns e dois menores morreram depois de 21 horas de distúrbios.
A rebelião começou quando uma visitante foi impedida de entrar por problemas na documentação. Indignado, o marido teria ameaçado matar alguém em sinal de protesto. Foi quando outros menores se juntaram ao motim.
Para Adriano Neiva, a razão para tantas ocorrências é a falta de agentes. “Hoje a média é de um para cada dez adolescentes. Como é possível conter tanta gente rebelada?”
Em relação à segurança dos funcionários, a Fundação afirmou à reportagem que "segue todas as diretrizes legais contidas principalmente no Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase), proporcionando capacitação constante dos servidores."
Postado há por

HOJE É DIA DE QUE ?

Leia mais: Hoje é dia de que? • A arte da vida. Apon HP http://www.aponarte.com.br/p/hoje-e-dia-de-que-e-amanha_09.html#ixzz1wksZSqx1 Under Creative Commons License: Attribution Non-Commercial No Derivatives

Arquivo do blog

GENTENEWS G 1

INN . . .DESEJA A TODOS . . .